Mercado Imobiliário

Redução de 0,75% dos juros do financiamento imobiliário aquece venda de imóveis na reta final de 2018   

Momento oportuno para o mercado imobiliário em Brasília

O segundo semestre de 2018 continua sendo um dos melhores momentos dos últimos anos para o mercado imobiliário, com redução de juros para compra de imóveis de até 1,5 milhão de reais anunciada pela Caixa Econômica Federal (CEF). Segundo o banco, a partir de 24 de setembro, a taxa mínima passará de 9,5% para 8,75% ao ano, para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Este movimento deverá ser acompanhado pelas demais instituições, acirrando ainda mais a concorrência e impactando a demanda por imóveis no Brasil.

O renomado economista brasileiro, Ricardo Amorim, analisa o momento atual como um dos mais oportunos dos últimos anos para comprar imóvel no Brasil. Segundo o economista, o mercado imobiliário é um dos segmentos mais cíclicos da economia brasileira, uma vez que está diretamente ligado a dois fatores decisivos  para aquisição de imóvel no País : crédito imobiliário e confiança. “Acompanhando essa análise, quando se pensa que um momento está ruim para investir em imóvel, pode ser exatamente o momento certo para aproveitar uma oportunidade e realizar um excelente investimento, uma vez que tal momento pode estar indicando o final de um ciclo de quedas e o início de um novo ciclo de crescimento. No caso do Brasil, tivemos um ciclo grande de quedas nos últimos anos, com juros altíssimos e crédito imobiliário escasso, onde o valor real dos imóveis ficou praticamente estagnado. Agora, com a mudança de cenário, existe uma forte tendência de recuperação e até mesmo de valorização dos imóveis” explica. Veja o vídeo de Ricardo Amorim na íntegra aqui.

Este movimento já pode ser observado no mercado imobiliário de Brasília, em que a oferta imobiliária de novos imóveis vem diminuindo rapidamente com o aumento da demanda, indicando o início de um novo ciclo que poderá durar muito tempo. A manutenção da taxa Selic em 6,5%, a redução de juros do crédito imobiliário e os novos lançamentos de imóveis de alto valor podem acelerar ainda mais o setor nesta reta final de 2018.

Segundo o diretor de vendas da Emplavi, maior construtora de Brasília e líder no segmento alto padrão na capital, Wilson Charles, o mercado imobiliário está despertando para um momento de grandes oportunidades. “Os clientes já estão fazendo a leitura correta do momento, convencidos de que, antecipando agora a decisão de compra, irão aproveitar melhor o início desse novo ciclo de valorização imobiliária e de crédito mais barato, uma vez que a tendência natural é de que os juros voltem a subir no início de 2019 – previsão já confirmada pelo Banco Central.

Veja como a convergência dessas variáveis podem criar  uma janela de oportunidades únicas no mercado imobiliário de Brasília até o fim de 2018.

Selic continua no menor patamar

O último Relatório de Mercado Focus divulgado, em 6/09, mostrou que a mediana das previsões para a Selic continua em 6,50% ao ano. O nível é o mais baixo desde o início da série histórica do Banco Central (BC), em 1986. O mesmo relatório prevê que, logo no começo de 2019, a Selic pode chegar a 8,00% ao ano.

A partir de 2019, a taxa básica de juros vai ser mantida em 8% até, pelo menos, 2021 – segundo o Focus. Se a projeção do BC for confirmada no próximo ano, as taxas de financiamento, que sofrem influência direta da taxa Selic, podem aumentar também. Fato que torna a reta final de 2018 ainda mais oportuna.

 

Bancos reduzem juros do crédito imobiliário e ampliação do limite para financiamento de imóveis

 

A Caixa Econômica Federal reduziu em até 0,5% as taxas de juros do crédito imobiliário para operações com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), e em até 0,75% a taxa para financiamentos de imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

É válido ressaltar que os imóveis enquadrados no SBPE são aqueles residenciais de até R$800 mil, para todo país, exceto para Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal. Nestes estados, o limite é de R$950 mil. Já os imóveis residenciais acima dos limites do SFH são enquadrados no SFI.

Ainda sobre este assunto, no dia 20 de agosto, o portal de notícias Uol fez uma matéria sobre a discussão que existe de antecipação de medidas para o setor imobiliário em setembro. A ampliação do limite para financiamento de imóveis com uso de recursos do FGTS para R$ 1,5 milhão (o limite atual é de R$ 950 mil) é uma das medidas anunciadas recentemente pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). A expectativa era de que essa nova providência começasse a valer somente em janeiro de 2019.

 

Crescimento de Crédito no Setor e aumento no volume de financiamento imobiliário

 

Em julho, a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) elevou de 10 para 16 por cento a previsão de crescimento do crédito do setor imobiliário neste ano ante 2017.

Além disso, segundo dados da Abecip divulgados pelo Jornal Extra, no dia 30 de agosto, o volume de financiamento imobiliário com recursos da caderneta de poupança do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) somou 4,93 bilhões de reais em julho. O número demonstra crescimento de 16,2% ante julho de 2017. No acumulado de 2018, até julho, os financiamentos somaram 30,2 bilhões de reais, montante 21,9% maior do que no mesmo  período de 2017.

 

Mercado Imobiliário aquecido no Brasil

 

As últimas notícias do segmento imobiliário apresentam um cenário positivo e mostram o mercado em franco aquecimento no país. Os lançamentos de imóveis aumentaram 41,5%, no segundo trimestre, na comparação anual, conforme levantamento realizado pela Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) em conjunto com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), e divulgado no dia 30 de agosto pelo Valor Econômico. Ainda segundo a matéria, as vendas entre abril e junho tiveram alta de 7,7%, alcançando 29.003 unidades, e o número de unidades lançadas no segmento de médio e alto padrão avançou 31,8%. Em relação aos imóveis enquadrados no programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, o número cresceu 41,3% no segundo trimestre de 2018.

 

Ainda segundo o relatório que abrange dados de 21 cidades e regiões metropolitanas, o mercado imobiliário no Brasil apresentou expansão de lançamentos e vendas, e queda nos estoques no segundo trimestre do ano. “A queda do estoque tem acontecido porque as vendas estão maiores que os lançamentos há vários trimestres. Os lançamentos cresceram bastante, mas ainda não são suficientes para repor as vendas”, explicou o presidente da CBIC, José Carlos Martins, em entrevista coletiva a jornalistas.

 

Lançamentos em alta na capital

 

A capital dos brasileiros sentiu menos os impactos da crise econômica que atingiu o País. O cenário positivo para o lançamento de imóveis de alto padrão, em Brasília, tem sido fortalecido por uma conjunto de fatores econômicos, conforme apontado pelo Correio Braziliense.

 

Embora a crise tenha afetado negócios em todo o país, Brasília sentiu menos efeitos negativos da queda da renda e dos investimentos. Segundo o Índice de Velocidade de Vendas (IVV), elaborado pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF) e pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), o índice que mede o ritmo de vendas de imóveis no DF, no mês de julho, foi superior aos meses de maio e junho e chegou a 6,8% . Este valor é maior que a média nos anos anteriores.

 

Acompanhando a demanda crescente por imóveis novos em Brasília, as construtoras se movimentam visando aumentar o volume de ofertas por meio de novos lançamentos. Porém, a movimentação ainda não foi suficiente para impactar consideravelmente o volume geral de oferta atual, como pode ser visto na última pesquisa IVV, em que os índices se mantiveram estáveis desde maio deste ano. 

 

 

Setor Noroeste em Brasília desponta como o bairro mais atrativo para se investir em imóveis no DF

 

A região de Brasília com maior potencial de valorização imobiliária continua sendo o Setor Noroeste – o mais novo bairro do Plano Piloto. Com uma proposta totalmente inovadora de morar e viver com mais qualidade de vida em Brasília, o bairro conquista cada vez mais moradores, tanto pela proposta de conciliar as facilidades de se morar no centro da cidade e, ao mesmo tempo, viver ao lado do Parque Burle Marx, quanto pela qualidade dos empreendimentos que ali estão sendo construídos. Demonstra-se, a cada dia, seu grande potencial de valorização na medida em que é comparado com regiões mais consolidadas do Plano Piloto, principalmente a Asa Norte.

 

Entenda melhor o valor do metro quadrado na cidade na leitura desse post.

 

Além disso, existem outros atrativos para quem quer investir especificamente nos imóveis de alto padrão como, por exemplo, o potencial de agregação de valor ao empreendimento. Existem diversos adicionais que abrangem mais do que aspectos da construção civil. São eles: itens de segurança, conforto e praticidade para os moradores.

Conheça abaixo os diferenciais dos imóveis Emplavi.

 

Sobre Emplavi no Noroeste e os empreendimentos de alto padrão

Momento certo para comprar imóvel no DF! Conheça a Central de Vendas e Decorados Emplavi Noroeste.

A Emplavi, incorporadora líder no segmento de alto padrão em Brasília, tem a maior e mais diversificada oferta imobiliária de 2, 3 e 4 quartos no último bairro residencial a ser construído no Plano Piloto. Em 2018, a empresa celebra a finalização de 4 grandes empreendimentos no bairro e já iniciou um novo ciclo de lançamentos com obras aceleradas de 2, 3 e 4 quartos nas melhores localizações.

Desde 2009, o Noroeste conta com métodos construtivos inovadores, tecnologia de ponta, seguindo tendências arquitetônicas. Essas são características da Emplavi que promovem um novo estilo de vida na capital.

Conheça os empreendimentos, suas características únicas e seus diferenciais abaixo:

 

Prontos para morar:

Parque das Orquídeas: 4 suítes, halls privativos, área de lazer completa e até 5 vagas na garagem.

 

 

Jardins dos Flamboyants: 3 suítes definitivo, com até 4 vagas na garagem e que une conforto, praticidade e localização privilegiada.

 

Jardins dos Hibiscos: 2 quartos, sendo uma suíte com localização ideal, tranquilidade e requinte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jardins dos Ipês:  4 suítes e até 5 vagas na garagem, bem-estar, qualidade e inovação nos apartamentos.

 

Lançamentos:

Jardins dos Lírios: 2 quartos, sendo 1 suíte, e até 4 vagas na garagem, sustentabilidade, conforto e segurança

 

Parque das Hortênsias : 3 suítes e até 4 vagas na garagem, exclusividade de uma vida cercada pelo verde!

 

Parque das Tulipas: 4 suítes com opções de reversibilidade, onde o belo e o sofisticado se encontram. 

 

Visite a Central de Vendas e Decorados Emplavi Noroeste para se encantar com o alto padrão na SQNW 102!

 

Você também pode gostar
Os Impactos da Selic sobre o Mercado Imobiliário no Segundo Semestre de 2018
Momento oportuno para o mercado imobiliário em Brasília
Cenário Econômico Impacta o Mercado Imobiliário na Reta Final de 2018
Comprar um imóvel: 4 dicas para realizar um bom negócio!

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This